Jornal A Praça - O Jornal de Iguatu

Você está aqui: Notícias Cartas Agradecimento...A professora Elze Montenegro

Agradecimento...A professora Elze Montenegro

E-mail

Muitas vezes recuo tanto na minha memória que penso estar penetrando apenas no mundo da imaginação e dos sonhos, como quando, por exemplo, me pego agora lembrando fatos de quando ainda era estudante da Escola de Economia Doméstica na cidade de Iguatu. E o quanto estas minhas lembranças são reais.

Em certa ocasião da minha vida fiquei sob os cuidados da professora Elze Montenegro. É difícil avaliar como adulta no espaço e o tempo próprio da juventude, mas sempre soube que podia considerá-la uma grande amiga. O fato é que naquele tempo ela fora de grande importância para o crescimento da minha via profissional e agora as lembranças me chegam parecendo uma viagem.

O tempo passa rápido mas a gratidão não tem limite. Chegou a hora de agradecer numa breve reflexão sobre o meu aprendizado com Elze Montenegro e a minha resposta de agradecimento acabou gerando este artigo.

Dona Elze, mulher extremamente profissional. Foi assim que a conheci, professora de grande competência e de uma enorme simplicidade. Nasceu para servir a sua cidade natal Iguatu. De família tradicional nunca levou em consideração sua situação financeira. O tempo foi-se tecendo de passagens rápidas e eu a aluna e amiga Neidimar Bastos Vasconcelos nunca esqueci de ser grata à dona Elze Montenegro. Morei vários anos na sua casa como uma filha querida até completar meu curso que tanto almejava, “Economia doméstica”.

Quando tudo se revela verdadeiro na vida de uma pessoa, é justamente quando sua realização profissional é realizada. Assim aconteceu. Quem pode deixar de esperar alguma coisa em troca? - Só agradecimento. Tudo decorre num lapso de tempo que se esvai mais cedo do que se pode ter para viver sua realização completa. Eis a vida sendo o que é - realidade.

A crônica aqui está. Com as minhas limitações, pois hoje, me tornei contabilista e são os numerais que habitam parte do meu dia. Mas a gratidão faz com que haja essa expansão de letras em forma de palavras que eu poderia simplesmente dizer: - Muito obrigada Dona Elze Montenegro, como essa frase pudesse se multiplicar e então coubesse em algumas dezenas de páginas dentro de um prazo diminuto de elaboração, prazo que, em emoções mais alentadas, se traduzam por anos e não por escassos dias.

É-me grato, depois de tanto tempo de separação, ter que lhe agradecer os dias de ontem, repassados pela lembrança que nos liga desde a juventude, quando fazíamos parte do mesmo ideal “a educação”. Os elogios são do meu espírito, que pode fazer presentes destes sem despojar-se.

É para mim, com efeito, uma satisfação de dizer o quanto sou agradecida pela oportunidade que a senhora me ofereceu no momento em que eu pecisava tendo como compromisso o estudo e de embrenhar-me intelectualmente durante anos na Escola Doméstica de Iguatu, sobretudo tendo que me separar de minha mãe, que se mudara para outra cidade.

Mas não posso esquecer que para uma escola desse porte funcionar é necessário muito trabalho e, foi assim à razão da sua luta pela educação dessa cidade. A maior prova de determinação e luta de uma mulher forte e competente na direção certa pelo desenvolvimento da educação e da cultura do nosso povo.

Falar sobre a senhora dona Elze, não só constitui um motivo de honra, mas um momento privilegiado de partilhar com todos o muito que a senhora fez por mim e por esse município.

Minha amiga professora! Mais do que ninguém sinta-se orgulhosa, e de cabeça erguida, pois seus conterrâneos lhes serão eternamente gratos pela sua dedicação e pelo seu talento. Em meu nome: - Muito obrigada por você existir e ser uma mulher cearense que muito nos dignifica.

Francisca Neidimar Bastos Vasconcelos
Ex-aluna da “Escola de Economia Doméstica Elza Barreto”
Funcionária do Ministério da Fazenda

Comentários  

 
#1 Iraci correa 27-06-2012 01:34
Senhora Francisca, meu nome é Iraci Correa ,de São Paulo, Capital. Li seu comentário , muito bonito por sinal, em agradecimento à Professora Elze Montenegro e tomei a liberdade de pedir sua ajuda. Como eu poderia entrar em contato com Dona Elze ou alguem da família Montenegro ? O motivo é nobre e sério pois minha mãe, Josepha dos Anjos, foi criada por sua madrinha Dona Luiza Montenegro, que veio para São Paulo e não mais voltou para José de Alencar onde ficaram suas irmãs. È uma história triste, que se for de seu interesse,conta rei com detalhes para que possa entender minha busca.Certa de sua compreensão, agradeço .
Citar
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar