Jornal A Praça - O Jornal de Iguatu

Você está aqui: Notícias Cidade Distrito de Barro Alto vive maior enchente de sua história

Distrito de Barro Alto vive maior enchente de sua história

E-mail

Foto:Alex Santana
Várias casas foram invadidas pelas águas da Lagoa do Barro Alto
O distrito de Barro Alto, zona rural de Iguatu, vive uma das maiores enchentes dos últimos 15 anos. O distrito que fica próximo das margens do rio Jaguaribe não foi afetado pelas águas do rio, mas sim por uma cheia originada da chamada ‘lagoa do Barro Alto’, uma das maiores do conjunto de lagoas de Iguatu. Em dois dias, 30/04 e 01/05, choveu cerca de 200 mm na região. Uma precipitação de 140 mm na noite da quarta, 30, e outra de 60 mm na manhã da quinta, 01/05. Com as chuvas caídas a lagoa, que margeia o distrito separando os lados apenas pela rodovia que liga Barro Alto a Jucás, transbordou e causou sérios transtornos.

Cerca de 79 famílias de Barro Alto, em torno de 150 pessoas, tiveram que deixar suas casas, invadidas pelas águas. Muitos moradores saíram às pressas em face da velocidade com que o nível das águas subia. As famílias perderam móveis, utensílios domésticos e objetos pessoais. Até o fechamento desta edição não havia informação sobre vítimas. Uma casa da sede do distrito desabou. No momento não havia ninguém dentro porque a família foi retirada antes do incidente. No final da tarde da quinta-feira o clima na sede do distrito era tenso porque chegava a informação de que outra lagoa, a do Baú, que desemboca na lagoa do Barro Alto, estava sangrando com uma lâmina d’água acima de 90 cm. Esta água, segundo os moradores, teria que passar toda pela lagoa de Barro Alto até cair no rio Jaguaribe. A lagoa de Barro Alto recebeu aproximadamente 1 metro d’água em toda sua extensão. Como já havia acumulado muita água durante o período de inverno a situação se agravou.

Socorro às famílias

Ainda durante todo o dia da quinta, 01, a prefeitura de Iguatu deslocou várias equipes para o distrito de Barro Alto, no sentido de socorrer as famílias atingidas. As equipes foram coordenadas pela secretária de Ação Social, Célia Freitas. Célia informou que cerca de 50 famílias já haviam sido retiradas de suas casas e alojadas em escolas, prédios públicos e casas de parentes. A secretária ressaltou que a situação era de muita preocupação. Ela disse que foram distribuídas cestas básicas de alimentos para algumas famílias que ficaram sem comida em casa, colchonetes e foi preparado um ‘sopão’ para ser distribuído durante a noite. Célia informou também que as equipes iriam ficar de plantão durante toda a noite para tentar ajudar as ocorrências. O prefeito Agenor Neto esteve na sede do distrito e visitou as famílias desabrigadas que foram levadas, em sua maioria, para a localidade de Barra, próximo a Barro Alto. O prefeito determinou um regime de plantão das equipes da prefeitura para atender as famílias até que a situação da enchente estivesse sob controle. Para mais informações sobre a ajuda às famílias que estão desabrigadas no distrito do Barro Alto, basta ligar para 0800 280 3734 e 0800 2862 022.

Equipes do Tiro de Guerra 10-013 e da Defesa Civil municipal também foram deslocadas para o distrito para ajudar a retirar as famílias das áreas de risco. O Demutran - Departamento Municipal de Trânsito deslocou viaturas e agentes para controlar o tráfego, principalmente na área urbana de Barro Alto, uma vez que havia riscos de acidentes por causa da aglomeração de pessoas em cima da pista de rolamentos. Equipes do SAAE, Centro de Zoonoses, gabinete do prefeito, secretaria de Educação, Ação Social formaram um mutirão para atender os desabrigados. O vereador Nelho Bezerra disse que foi a segunda maior enchente registrada na localidade. Segundo o parlamentar, a preocupação inicial foi remover as famílias dos locais alagados, para só depois avaliar o que foi perdido e tentar recuperar.

Lagoa de Iguatu

As chuvas que banharam a sede de Iguatu entre os dias 30 de abril e 01 de maio também foram intensas. A lagoa de Iguatu que é margeada pelos bairros Daer, Altiplano e vila Coqueiro também transbordou e deixou muitas famílias em estado de alerta. No final da tarde da quinta-feira, as águas invadiram uma casa que fica na vila Daer. O senhor Antônio Trajano viu sua casa totalmente ficar dentro d’água. Ele disse que as águas da lagoa começaram a subir pela madrugada. O senhor Antônio, a esposa Francisca Maria do Nascimento, filhos e netos ficaram sem ter para onde ir. Ele vive de um pequeno comércio que tem em casa. “É um negócio difícil isso aqui. Vejo a água chegando e não tenho o que fazer. Não sei mais o que fazer!”, lamentou.

Em outra parte, já na entrada do bairro Altiplano onde a água da lagoa fica represada, os moradores transformaram os transtornos em diversão. O local foi ocupado por banhistas que aproveitaram a enchente para farrear, já que era feriado do dia do trabalho.

Lagoa do Julião

Numa outra área da cidade a lagoa do Julião também transbordou e causou mais transtornos para famílias inteiras. A rua Deoclécio Lima Verde, que dá acesso do centro da cidade ao bairro Areias, passando em frente ao Campus I da EAFI, a Escola Adauto Bezerra e a FECLI, ficou com um trecho totalmente alagado por causa do transbordamento da lagoa do Julião. As águas também invadiram as ruas Juvenal Barreto e Manoel Epifânio no conjunto habitacional que fica por trás da Escola de Saúde Pública.

Moradores da rua Martins Soares Moreno, que cruza da 15 de novembro para a avenida Perimetral, ficaram ilhados mais uma vez com o transbordamento da lagoa da Bastiana. A rua Martins Soares Moreno tem o nível abaixo da lagoa. Quando o reservatório enche a rua inteira fica debaixo d’água.

 

Distrito do Barro Alto sofre enormes prejuízos na agricultura

 

Alex Santana

Foto:Alex Santana
Os agricultores tentam salvar o que ainda tem na lavoura
A cheia da lagoa do Barro Alto trouxe também um enorme prejuízo para os agricultores do Distrito. Cerca de 80% da safra de milho e feijão foram perdidas. O agricultor José Alves Teixeira afirmou que “esta é a primeira vez que acontece isto. Nunca imaginei que pudesse perder todo o meu milho. Perdi 30 sacas e não sei o que fazer”, disse o agricultor entristecido.

Entramos em contato com o secretário de Agricultura, Valdeci Ferreira que confirmou para a nossa reportagem que as perdas no Distrito do Barro Alto são enormes. Segundo Valdeci, uma equipe da Ematerce, do Sindicato dos Trabalhadores Rurais e da Secretaria de Agricultura estão realizando uma análise em todo o município para que no próximo dia 6 de maio seja divulgado oficialmente os prejuízos na agricultura em Iguatu.

Foto:Alex Santana
A Lagoa do Barro Alto invade residencias e com as chuvas o volume de água pode subir ainda mais
“Com estes dados que repassaremos para prefeitura de Iguatu, saberemos os prejuízos reais dos nossos agricultores e tomaremos as medidas cabíveis para amenizar o sofrimento dos nossos irmãos do campo”, disse o secretário Valdeci Ferreira.

 

 

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar